IBGE: 27% dos idosos brasileiros trabalhavam em 2012.

Anualmente o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) disponibiliza gratuitamente a Síntese de Indicadores Sociais (SIS), onde são analisados as condições de vida da população brasileira em diferentes aspectos: demográficos, famílias e domicílios, educação, trabalho, padrão de vida e distribuição de renda, assim como, saúde.

Os idosos possuem um capítulo especial na SIS, uma vez que o envelhecimento da população, caracterizado pelo aumento da proporção de idosos em relação à população total, é um fenômeno já bastante evidente em países desenvolvidos, e uma vez que esse fenômeno ocorre de forma acelerada no Brasil, merece importância na agenda de políticas sociais.

Grande parte das questões que emergem com o envelhecimento populacional estão relacionadas ao mercado de trabalho, à previdência social, bem como ao sistema de saúde e de assistência social.

Entre 2001 a 2011, o crescimento do número de idosos de 60 anos ou mais de idade, em termos absolutos, foi marcante: passou de 15,5 milhões de pessoas para 23,5 milhões de pessoas, fazendo com que a participação relativa deste grupo na estrutura etária populacional aumentasse de 9,0% para 12,1% no período. O número de “idosos mais idosos” também tem aumentado, assim a participação do grupo com 80 anos ou mais de idade chegou a 1,7% da população em 2011, correspondendo a pouco mais de 3 milhões de indivíduos.

Na Síntese de Indicadores Sociais -2013, referente ao ano de 2012, foram destacados pontos importantes relacionados ao envelhecimento populacional: previdência social e mercado de trabalho.

Segundo o IBGE, para o grupo de pessoas de 60 anos ou mais de idade, 23,7% não recebiam aposentadoria ou pensão, enquanto 7,8% acumulavam aposentadoria e pensão.

A proporção de pessoas de 60 anos ou mais de idade que acumulavam simultaneamente aposentadoria era de 2,8% entre os homens e 11,7% entre as mulheres idosas.

Pode-se supor que a elevada proporção de idosos, desta faixa etária, que não recebiam aposentadoria ou pensão deve estar relacionada à inserção e ou permanência no mercado de trabalho, já que a taxa de ocupação, ou seja, idosos que trabalham foi de 27,1%, sendo que 15,3% das pessoas eram ocupadas e aposentadas, e o tempo médio semanal dos idosos dedicado ao trabalho foi de 34,7 horas.

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedInEmail this to someone
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedInEmail this to someone